Sebastião de Oliveira, o Monstro de Bragança: um assassino em série brasileiro

Uma a uma criancinhas inocentes desaparecem após entrarem em contato com uma figura esguia e sombria. Um olhar mais aguçado revela que a criatura tem a aparência de um...

Uma a uma criancinhas inocentes desaparecem após entrarem em contato com uma figura esguia e sombria. Um olhar mais aguçado revela que a criatura tem a aparência de um idoso malvado. Seria este senhor o velho do saco? Ou quem sabe o bicho-papão em sua forma humana? Talvez nenhum dos dois, e sim o mais novo vilão das histórias criminais, aquele mesmo que persegue e sequestra crianças: Slender Man.

Já lemos ou ouvimos essa história centenas de vezes. Mas, afinal, isso é real? Ou apenas lenda urbana, folclore ou roteiro de filme de terror?

UMA HISTÓRIA REAL


Em uma sucessão bastante rápida, quatro crianças (incluindo duas irmãs) sumiram em Bragança Paulista entre 26 de dezembro de 1974 e 3 de janeiro de 1975. Após os desaparecimentos, histórias começaram a brotar no boca a boca e rapidamente a população bragantina elegeu seus suspeitos, e eles não eram o bicho-papão ou o velho do saco, mas ciganos que haviam acampado nas imediações da cidade. Antes que os nômades se tornassem alvos da fúria cega, a polícia veio com a solução do mistério.

Quatro crianças que desaparecem em um curto espaço de tempo chama a atenção. Dois delegados e detetives de três cidades se uniram na investigação, que durou apenas 22 dias. Em 18 de janeiro o Jornal do Brasil escreveu: “Crianças desaparecidas foram mortas por um velho louco”.

O tal “velho louco” era Sebastião de Oliveira, 59 anos, encontrado perambulando sem rumo na cidade vizinha de Amparo.

Sebastião era um velho conhecido da justiça. Sua ficha incluía internações em manicômios após estuprar crianças e suspeitas de homicídio. Em 1969 foi definido como um “sexopata” por um psiquiatra.

Solto nas ruas em liberdade vigiada, Sebastião resistiu por pouco tempo aos seus impulsos doentios, então matou quatro crianças “após submetê-las a sevicias de toda sorte, atendendo a seus instintos bestiais”.

Necrófilo e canibal, Sebastião comeu um pedaço das nádegas da primeira vítima; da segunda comeu um pedaço do fígado e das irmãs a carne das coxas.

Por mais de 20 anos este Slender Man da vida real causou dor e morte. Encontrado enforcado em sua cela, ele pode hoje estar morto. Mas sua história continuará viva — nos contos.

Sebastião de Oliveira levou os policiais aos locais onde matou suas vítimas, nos arredores de Bragança. Os corpos foram encontrados parcialmente decompostos e comidos por animais.

Ele confessou só conseguir atingir o climax sexual após matar suas vítimas, momento que se apoderava de seus corpos mortos. Após o ato sexual, cortava com uma faca alguma parte do cadáver e comia, além de raspar as cabeças com uma navalha.

Em janeiro de 1976, Sebastião foi encontrado morto em sua cela.

Referências: [1] Crianças desaparecidas em Bragança paulista foram mortas por um velho louco. Jornal do Brasil. 18 jan. 1975. Pág. 20; [2] Maníaco sexual assassinou os quatro menores. Cidade de Santos. 18 de jan. 1975. Pág. 6; [3] O Monstro de Bragança. O Cruzeiro. Págs. 28 a 33. Ed. 6. 1975.

Siga OAV Crime no Instagram


Por:


Daniel Cruz
Texto

"Podemos facilmente perdoar uma criança que tem medo do escuro; a real tragédia da vida é quando os homens têm medo da luz." (Platão)
Deixe o seu comentario:

RELACIONADOS

Receba nosso conteúdo por e-mail!

Digite o seu endereço de e-mail:

OAV Crime no WhatsApp!

OAV no Whatsapp

OAV Crime no Twitter

As últimas notícias

Categorias

×