Jeffrey Dahmer: A ligação de Glenda Cleveland para o MPD em 27 de maio de 1991

Se o leitor deseja saber os detalhes reais sobre o inacreditável episódio envolvendo Jeff Dahmer e Konerak Sinthasomphone, sugiro deixar de lado a série da Netflix e procurar outra...

Se o leitor deseja saber os detalhes reais sobre o inacreditável episódio envolvendo Jeff Dahmer e Konerak Sinthasomphone, sugiro deixar de lado a série da Netflix e procurar outra fonte.

No caso real, quem inicialmente avistou Konerak tropeçando como um zumbi na rua foram as primas adolescentes Sandra Smith e Nicole Childress. Junto a elas estava a amiga Tina Spivey. Nu, machucado e drogado, Konerak não dizia nada com nada e as garotas saíram para chamar a emergência. Quando voltaram, Jeff Dahmer tentava levar o garoto de forma violenta, torcendo o seu braço. “Deixe-o em paz! Deixe-o em paz!”, elas começaram a gritar. Uma coisa era certa: Nicole, Sandra e Tina não deixariam o desconhecido que apareceu do nada levar o menino embora.

Logo, uma viatura da polícia apareceu. Quando os brutamontes John Balcerzak e Joseph Gabrish desceram, pela primeira vez Jeff recuou. Enquanto Balcerzak tomou o testemunho de Jeff, Gabrish tentou conversar com Konerak. O garoto, porém, não conseguia pronunciar qualquer palavra. Quando falava, era em uma língua desconhecida.

A Balcerzak, Jeff regurgitou sua costumeira litania de lorotas que o fez se safar tantas vezes. Em questão de minutos ele se tornou o centro das atenções. Ao mesmo tempo, cada vez mais as meninas negras interferiam na conversa. Calmo e educado com os policiais, Jeff era rude com elas. Ele ficou especificamente nervoso com Nicole. “Há algo de errado com ela”, disse Dahmer aos policiais. Ele chegou a xingá-la de “vadia negra louca”. Com as garotas, Balcerzak e Gabrish agiram com indiferença e nunca lhes deram a palavra. Eles mal olharam para elas.

Completamente ignorada, Nicole teve uma ideia: ir até a casa de sua tia, Glenda Cleveland, mãe de Sandra, que morava ali perto. Elas, então, saíram, mas quando voltaram com Glenda, não havia mais nada.

Foi quando Glenda entrou em ação. Ela não sossegou enquanto não conversou com um dos oficiais. Infelizmente, não foi o suficiente para salvar Konerak. Glenda pode ter “falhado”, mas suas ações enviaram uma mensagem positiva em meio à dor e revolta.

Glenda tentou ajudar outro ser humano. Lamentavelmente, não é um comportamento comum de se ver.

No vídeo abaixo, o áudio original da chamada de Glenda Cleveland ao MPD na noite de 27 de maio de 1991. Após muita insistência, ela conseguiu falar com um dos oficiais envolvidos, John Balcerzak.

.

  • TUDO o que já foi publicado no OAV Crime sobre Jeffrey Dahmer: CLIQUE AQUI

Siga OAV Crime no Instagram


Apoie o OAV


Apoie o nosso trabalho. O OAV Crime precisa do seu apoio para continuar a crescer, disponibilizando textos e podcasts de qualidade, assim como o desenvolvimento de outros projetos. Acesse a página abaixo e saiba como apoiar.

Por:


Daniel Cruz
Texto

Assine o nosso projeto no Catarse

"Podemos facilmente perdoar uma criança que tem medo do escuro; a real tragédia da vida é quando os homens têm medo da luz." (Platão)
Deixe o seu comentario:

RELACIONADOS

Receba nosso conteúdo por e-mail!

Digite o seu endereço de e-mail:

OAV Crime no WhatsApp!

OAV no Whatsapp

OAV Crime no Twitter

As últimas notícias

Categorias

×