Arthur Shawcross: o assassino em série que foi libertado da prisão e voltou a matar

Em meados de 1987, moradores de uma pacata cidadezinha interiorana chamada Delhi, no estado de Nova Iorque, discutiram asperamente entre si a respeito de um novo morador que recentemente...

Em meados de 1987, moradores de uma pacata cidadezinha interiorana chamada Delhi, no estado de Nova Iorque, discutiram asperamente entre si a respeito de um novo morador que recentemente havia chegado naquelas bandas. Esse novo morador era um assassino de crianças que cumprira 14 anos de prisão e saíra livre. Ele “não era mais perigoso” disseram as autoridades. Psiquiatras, entretanto, discordavam: o psicopata esquizoide não podia ser solto. Mas houve um especialista que não concordou com seus colegas. Para este psiquiatra, o homem era “inofensivo”. E foi apoiado nesse diagnóstico que as autoridades decidiram libertá-lo.

Mas isso não importava. A questão é que agora ele estava em Delhi e os moradores de lá se eriçaram. O que fazer com ele? Acolhê-lo? Afinal, todos merecem uma segunda chance. Ou nada disso, devemos expulsá-lo?

A segunda opção foi a escolhida e o ex-presidiário, que se chamava Arthur, tomou o seu rumo. Atrair criancinhas para o mato, estuprá-las e matá-las era um passado tenebroso demais e Arthur pingou de cidade em cidade. A vida itinerante se tornou uma realidade, ele sofria hostilidades e perdia empregos quando as pessoas descobriam o que ele havia feito, então ele se mudava para um novo lugar.

Largado à própria sorte pelas autoridades e hostilizado por onde passava, poderia este homem inofensivo encontrar um caminho de paz e honestidade em sua vida?

O HOMEM DO DISTRITO VERMELHO


Na cidade de Rochester há um mundo de prostituição e drogas na Avenida Lyell, e a partir de junho de 1988 um homem estranho passou a estacionar seu carro lá. Ele ficava parado, sentado no banco, observando o movimento. Ele era um assassino em série e aquele era o seu lugar de caça. Ele não matava todo mundo. Ele pagou mais de 100 mulheres por sexo, mas algumas que o “irritavam” tinham um destino horrendo.

Entre março de 1988 e dezembro de 1989, 16 mulheres desapareceram na região. Os corpos, muitas vezes, eram encontrados mutilados e com as vulvas cortadas. Os pedaços, como se soube posteriormente, eram comidos pelo assassino.

A captura do maníaco homicida acabou sendo um golpe de sorte. Seu nome? Arthur Shawcross.

Sobrevoando de helicóptero um parque onde as roupas de uma mulher desaparecida foram encontradas, o piloto avistou um carro e o que parecia ser um homem urinando de cima de uma ponte. O piloto deu mais uma volta para checar o carro e nas imediações viu brilhar o que parecia ser um cadáver. Avisada, a polícia em terra se dividiu em duas: um grupo foi em direção ao cadáver e o outro seguiu o carro. O motorista era Arthur Shawcross e ele logo confessou que das 16 mulheres desaparecidas e encontradas mortas na região, 11 morreram por suas mãos.

À polícia, Shawcross disse ter um problema de impotência sexual. Ele não conseguia ter ereção, consequentemente não tinha orgasmo. Como o ucraniano Andrei Chikatilo, ele matava as garotas de programa que riam dele devido à sua incapacidade sexual. Mas ele não matou apenas garotas de programa. Uma das vítimas era uma mulher com um ligeiro retardo mental que disse a ele que era virgem.

Condenado à perpétua, Arthur Shawcross faleceu de ataque cardíaco em 2008, aos 63 anos.

Podcasts OAV


Escute os podcasts do Aprendiz Verde em nosso site de podcasts ou no agregador de sua preferência.

Apoie o OAV


Apoie o nosso trabalho. O OAV Crime precisa do seu apoio para continuar a crescer, disponibilizando textos e podcasts de qualidade, assim como o desenvolvimento de outros projetos. Acesse a página abaixo e saiba como apoiar.

Por:


Daniel Cruz
Texto

Assine o nosso projeto no Catarse

"Podemos facilmente perdoar uma criança que tem medo do escuro; a real tragédia da vida é quando os homens têm medo da luz." (Platão)
Deixe o seu comentario:

RELACIONADOS

Receba nosso conteúdo por e-mail!

Digite o seu endereço de e-mail:

OAV Crime no WhatsApp!

OAV no Whatsapp

OAV Crime no Telegram!

OAV no Whatsapp

OAV Crime no Twitter

As últimas notícias

Categorias

×

Powered by WhatsApp Chat

× Receba nosso conteúdo no WP