O Mal Encarnado: Mikhail Popkov, o pior dos piores

Trabalhando como motorista de táxi à noite, o russo Mikhail Popkov costumava fazer propostas ordinárias às suas passageiras — ir para outro lugar, beber e passar um bom tempo...

Trabalhando como motorista de táxi à noite, o russo Mikhail Popkov costumava fazer propostas ordinárias às suas passageiras — ir para outro lugar, beber e passar um bom tempo juntos. As que se recusavam estavam completamente seguras: Popkov as levava para casa, abria a porta do carro e as acompanhava até a entrada, protegendo-as para que nada acontecesse. Essas eram mulheres “decentes”. Mas se uma mulher concordasse com a proposta, seu destino era horrível.

Policial, Popkov não perdia a oportunidade de passar o dia fazendo rondas nos arredores de Angarsk, abordando mulheres, dando carona a elas e levando-as a lugares afastados para estuprar e matar. Trabalhar como motorista de táxi após o serviço era apenas uma oportunidade de continuar sua missão.

Popkov odiava mulheres pois sentia que a vida inteira foi humilhado por elas. A mãe alcóolatra abusava dele. Já a esposa o traiu. As mulheres deviam ser as guardiãs do lar e um ombro forte para seu homem, mas não era assim e, a partir de 1992, Popkov decidiu puni-las.

A maioria das vítimas eram prostitutas e mulheres bêbadas, que animadamente entravam no carro com a oferta de bebida. Mas Popkov abordava qualquer mulher, adolescente ou adulta, que estivesse sozinha num ponto de ônibus, rua ou estrada. Algumas foram decapitadas, outras tiveram os corações arrancados. Ele as matava com qualquer coisa: chaves de fenda, facas, machados, porretes etc.

No início, sua inexperiência podia ser vista nos corpos das vítimas, todas com vestígios de múltiplos golpes e com claros sinais de luta com o agressor. Ele nem se preocupava em escondê-los, fugindo da cena do crime rapidamente, talvez com medo de ser descoberto. Mas com o tempo se tornou uma diabólica máquina assassina. Muitas vezes as vítimas nem viam de onde vinha o golpe. Em um caso o médico legista atestou a causa da morte por arma de fogo: uma bala na têmpora e duas na testa. Após exumação, um novo exame revelou que os buracos, na verdade, foram causados por uma chave Phillips. Imaginem a força e a precisão necessárias para infligir tal ferimento a ponto de enganar o médico legista.

Sua “limpeza” durou 20 anos e custou a vida de 81 mulheres.

Mikhail Popkov se considerava um faxineiro limpando o mundo de mulheres sujas e indignas. Mesmo após matar durante 20 anos, sua memória era incrível e ele lembrava de detalhes de cada um dos crimes, e chegou a corrigir os investigadores. Para provar que ele enxergava mulheres como lixo, ele não soube dizer o nome de nenhuma de suas mais de 80 vítimas, nem mesmo tinha lembrança de suas fisionomias, mas sabia quando, onde e como as havia matado.

Popkov disse sobre a traição da esposa, mas psiquiatras acreditam que tudo não passou de uma falsa acusação de adultério. De fato ele acredita que foi traído, mas seria tudo fruto de sua mente doentia; ele criou uma falsa situação para alimentar ainda mais o seu ódio de mulheres. Acredita-se que os abusos de sua mãe alcoólatra possam ter contribuído para sua patologia homicida, levando-o a matar mulheres alcoólatras. Também fazia parte do seu modus operandi oferecer bebida. As que não aceitavam, ele não matava. (Observe que com o tempo isso se tornou irrelevante. A patologia do assassino em série sofre deformações e piora quando ele não é parado. Se no começo o fato de uma mulher não aceitar bebida a salvava, no final isso não fazia a menor diferença, e ele apenas saía como um lobo ensandecido para matar a primeira que entrasse em seu carro. Assassinos em série prolíficos começam de um jeito e terminam de outro, como Ted Bundy, que no final matou uma criança; Jeffrey Dahmer, que no final nem se importava mais com o físico de suas vítimas, ele apenas queria matar mais e mais para ter um corpo/companhia; ou Chikatilo, que na ausência de vítimas mulheres atacou garotos, castrando-os para “neutralizar” seu sexo).

Hoje, o número de vítimas de Mikhail Popkov está em 81, mas ele continua dando detalhes de mais homicídios às autoridades.

Referências: [1] «Мне есть о чем рассказать» Самый страшный маньяк России признался в новых убийствах. По числу жертв он дважды обошел Чикатило. Lenta. 2020; [2] “Ангарский маньяк” Михаил Попков получил второй пожизненный срок за убийство десятков женщин. BBC News. 2018; [3] Ex-policeman nicknamed ‘werewolf’ confesses to murdering 24 women in Siberia. The Siberian Times. 2013; [4] Russia’s worst-ever serial killer who enjoyed murdering ‘immoral women’ has his macabre total raised to 78 after he is convicted of 56 more deaths. Daily Mail.

Siga OAV Crime no Instagram


Apoie o OAV


Apoie o nosso trabalho. O OAV Crime precisa do seu apoio para continuar a crescer, disponibilizando textos e podcasts de qualidade, assim como o desenvolvimento de outros projetos. Acesse a página abaixo e saiba como apoiar.

Por:


Daniel Cruz
Texto

Assine o nosso projeto no Catarse

"Podemos facilmente perdoar uma criança que tem medo do escuro; a real tragédia da vida é quando os homens têm medo da luz." (Platão)
Deixe o seu comentario:

RELACIONADOS

Receba nosso conteúdo por e-mail!

Digite o seu endereço de e-mail:

OAV Crime no WhatsApp!

OAV no Whatsapp

OAV Crime no Telegram!

OAV no Whatsapp

OAV Crime no Twitter

As últimas notícias

Categorias

× Receba nosso conteúdo no WP