Cole & Dahmer: serial killers fantasiosos, beberrões e macabros

A princípio, Carroll Cole e Jeffrey Dahmer parecem não ter nada a ver um com o outro. Somente parece. Com infâncias distintas, os dois convergiram em algo comum na...

A princípio, Carroll Cole e Jeffrey Dahmer parecem não ter nada a ver um com o outro. Somente parece. Com infâncias distintas, os dois convergiram em algo comum na adolescência: os pensamentos obsessivos sobre morte e violência. Tais pensamentos os levou, ainda jovens, a pensarem em estratégias para alimentar seus desejos homicidas.

Por volta dos 15 anos, Dahmer gamou em um homem bonito e atlético que fazia cooper perto da sua casa. Certo dia, ele pegou um porrete e se escondeu em meio às árvores de uma mata. Seu plano era dar uma porretada na cabeça do corredor quando ele passasse, arrastar seu corpo para o mato e fazer sexo com ele. Felizmente o corredor não passou naquele dia.

Da mesma forma, o adolescente Cole espreitava em meio as árvores de parques em busca de presas. “Eu fantasiava em encontrar alguma garota desavisada e matar ela. Eu também vagava pelo Parque Nichols, agindo como um tipo de animal procurando uma vítima. Loucura, né?”, escreveu ele em sua autobiografia.

Para lidar com seus macabros pensamentos homicidas, ambos os adolescentes encontraram na bebida uma válvula de escape. Cole e Dahmer se tornaram alcoólatras na adolescência, comportamento que continuou até serem pegos, e que os ajudaram a matar em “apagões”.

Em 1977, Cole levou uma garota que conheceu numa boate para passar a noite com ele. No dia seguinte ele acordou e a mulher estava esquartejada no banheiro. Numa frigideira no fogão havia um bife das nádegas da vítima. Cole havia jantado a mulher. Ele não se lembrava de absolutamente nada.

Dez anos depois, Dahmer conheceu um bonito rapaz, também numa boate, e o levou para um hotel. No dia seguinte ele acordou e o rapaz estava morto, terrivelmente machucado. Dahmer o espancou até a morte, mas nunca se lembrou do ocorrido.

Mas uma vez acordados e sem o efeito do álcool, ambos perceberam a tragédia que haviam cometido e deram um jeito de retirar os corpos das vítimas dos hotéis. Cole em sacos plásticos e Dahmer em uma mala.

Não esqueçamos também que os dois eram viciados em cigarros. “Aberração da nicotina”, foi o apelido que Dahmer recebeu dos detetives Pat Kennedy e Dennis Murphy.

Podcasts OAV


Escute os podcasts do Aprendiz Verde em nosso site de podcasts ou no agregador de sua preferência.

Apoie o OAV


Apoie o nosso trabalho. O OAV Crime precisa do seu apoio para continuar a crescer, disponibilizando textos e podcasts de qualidade, assim como o desenvolvimento de outros projetos. Acesse a página abaixo e saiba como apoiar.

Por:


Daniel Cruz
Texto

Assine o nosso projeto no Catarse

"Podemos facilmente perdoar uma criança que tem medo do escuro; a real tragédia da vida é quando os homens têm medo da luz." (Platão)
Deixe o seu comentario:
Apoie

RELACIONADOS

Receba nosso conteúdo por e-mail!

Digite o seu endereço de e-mail:

OAV TV

OAV TV

Queremos você!

Queremos Você!

OAV Crime no WhatsApp!

OAV no Whatsapp

OAV Crime no Telegram!

OAV no Whatsapp

OAV Crime no Twitter

As últimas notícias

Categorias

×

Powered by WhatsApp Chat

× Receba nosso conteúdo no WP