Celebridades Assassinas: Marc Cécillon — fama & vício

Duas coisas que fascinam os seres humanos: violência e celebridades. A violência, é claro, está ao nosso redor, faz parte de nossa realidade e, provavelmente, as pessoas gostam de...

Duas coisas que fascinam os seres humanos: violência e celebridades.

A violência, é claro, está ao nosso redor, faz parte de nossa realidade e, provavelmente, as pessoas gostam de falar e ler sobre para tentar fazê-la compreensível. Como é possível uma pessoa cortar a cabeça de outra e muitos ficarem interessados ao ponto de devorarem tudo a respeito do crime? Por que cabeças e olhos se dirigem entusiasticamente quando há um horrível acidente na estrada? Por que a violência é um produto de sucesso na TV e literatura?

Do tapete vermelho do Oscar aos sites de fofocas sensacionalistas, a obsessão pelas celebridades está em todo lugar. “Em nossa sociedade, celebridades agem como uma droga”, citou o psicólogo James Houran, estudioso do fenômeno. Quando celebridades e violência se encontram, temos então uma mistura altamente volátil e poderosa. Uma coisa é a celebridade X aparecer em um filme, outra totalmente diferente é ela matar alguém ou ser assassinada. O interesse por ela aumenta exponencialmente. O julgamento do século XX nos Estados Unidos foi o de O.J. Simpson, famoso jogador de futebol americano e ator de cinema acusado de matar sua ex-mulher e um amigo dela. Ele era famoso, mas certamente nunca recebeu tanta atenção da mídia quanto na época em que foi preso e julgado. Já no Brasil, na década de 1990, a mídia citou o julgamento do ator de novelas Guilherme de Pádua como o nosso “julgamento do século”.

Celebridades são muitas vezes endeusadas e idolatradas, mas muitas delas possuem um lado perigoso e sombrio; um lado obscuro que, muitas vezes, é alimentado pela própria fama. Sem equilíbrio emocional, algumas celebridades se deixam levar por sorrisos e palavras falsas, caem na devassidão e se perdem em suas fantasias de vida. Para muitos de nós pode ser chocante alguém que vemos como celeste cometer atos abomináveis: assassinato, por exemplo.

Por outro lado, por serem figuras públicas, celebridades são alvos fáceis, que o diga John Lennon.

Baseados em nossas postagens do Instagram, iniciamos uma série com vários casos envolvendo celebridades que mataram ou foram mortas.

Celebridades assassinas e celebridades assassinadas: a nova série de posts do OAV Crime.

O francês Marc Cécillon conquistou duas doses de fama. A primeira começou em 1988 quando foi selecionado para jogar rugby pela França contra a Irlanda. A convocação foi a primeira de dezenas e coroou uma carreira brilhante iniciada em 1977.

Marco, como era conhecido, venceu inúmeros campeonatos, o último em 1995, e foi capitão da seleção francesa em cinco ocasiões, jogando os mundiais de 1991 e 1995. Sua determinação e frieza em campo fizeram-no ser incluído por um crítico entre os 8 jogadores de rugby “mais assustadores” da história francesa.

A 2ª DOSE DE FAMA


Depressivo após se aposentar, Marco se afundou nas drogas e no álcool. Em casa, batia na esposa, Chantal, e a traía com inúmeras mulheres mais novas. Em 7 de agosto de 2004, os dois foram convidados para uma festa na vila Flosailles, perto de Bourgoin-Jallieu. Chantal chegou sem o marido. Horas antes, ela ameaçou pedir o divórcio e os dois discutiram asperamente.

Às 23h, Marco apareceu na festa completamente embriagado. Ele agrediu a dona do lugar e, evidentemente, foi convidado a se retirar. Chantal se recusou a acompanhá-lo, deixando-o furioso. Ele se sentiu humilhado. A celebridade do rugby foi até a casa do casal onde pegou um revólver magnum .357 e voltou à festa. Lá, atirou quatro vezes à queima-roupa contra a mulher que estava casado há 24 anos. Chantal foi atingida no braço, no peito e na cabeça na frente de 60 testemunhas. Foi necessário unir forças de 12 homens para conter o ex-jogador brutamontes. Um deles arremessou um tijolo nas costas de Marco, que não se abalou. Quando a polícia chegou, ele estava amarrado a uma cadeira com um fio elétrico e perguntava por Chantal.

“Ele era um bêbado. Bebia, arrumava confusão e sempre saía ileso porque era Marc Cécillon. Isso é resultado de vinte anos de álcool. Pouco a pouco ele destrói a pessoa. Marc não conseguia lidar com a própria vida. Quando você mata a esposa, está matando sua vida”, disse na época Pascale Tordo, esposa do jogador François Tordo.

Em 2006, a ex-estrela do rugby foi condenada a 20 anos de prisão, pena posteriormente reduzida para 14.

Em 2011, Marco foi libertado após a justiça conceder-lhe liberdade condicional.

Em 2015, o jogador da seleção francesa de rugby, Alexandre Dumoulin, afirmou pela primeira vez que era filho de Marc Cécillon. Alexandre descobriu quem era o seu pai em 2004, quando sua mãe foi convocada como testemunha no julgamento de Marco. Chantal sempre desconfiou que o marido tinha um filho fora do casamento e os rumores na época, além do tratamento doentio e agressivo dispensado pelo marido, contribuíram para ela sugerir o divórcio.

Após cumprir apenas 7 anos, Marc Cécillon se mudou para o sul da França e chegou a processar as duas filhas, alegando que elas não estavam administrando adequadamente o patrimônio deixado por ele (ao matar a esposa, Cécillon perdeu os direitos sobre os bens do casal).

Em setembro de 2018, aos 59 anos, após uma noite de violência em Perpignan, extremo sul da França, Cécillon foi condenado a 12 meses de prisão. Trabalhando em um vinhedo, ele espancou o dono, o roubou e saiu em alta velocidade em um carro, colocando em perigo a vida de várias pessoas. Ele cometeu o crime em um estado de embriaguez.

Fontes consultadas: [1] Marc Cécillon condamné à vingt ans de réclusion criminelle. Le Figaro; [2] Marc Cécillon : Après avoir tué sa femme, il assigne ses filles en justice. Pure People; [3] Former France rugby captain Marc Cecillon is back behind bars. News Australia; [4] a peine de Marc Cécillon réduite en appel. Le Figaro; [5] Marc Cécillon condamné à 20 ans de prison. Le Figaro; [6] L’ex-rugbyman Marc Cécillon mis en examen et écroué. Le Parisien; [7] L’ex-star du rugby abat sa femme. Le Parisien; [8] Cécillon, un ancien international de rugby accusé d’assassinat. Le Parisien; [9] L’ancien rugbyman Marc Cécillon jugé en appel pour le meurtre de sa femme. La Depeche.

Siga OAV Crime no Instagram


Por:


Daniel Cruz
Texto

"Podemos facilmente perdoar uma criança que tem medo do escuro; a real tragédia da vida é quando os homens têm medo da luz." (Platão)
Deixe o seu comentario:

RELACIONADOS

Receba nosso conteúdo por e-mail!

Digite o seu endereço de e-mail:

OAV Crime no WhatsApp!

OAV no Whatsapp

OAV Crime no Twitter

As últimas notícias

Categorias

×