Sádicos uniformizados: os soldados assassinos em série

Em um de seus livros sobre assassinos em série, o escritor Harold Schechter cita um tipo bem desconhecido de serial killer, que mata sob autorização do estado. Em outras...

Em um de seus livros sobre assassinos em série, o escritor Harold Schechter cita um tipo bem desconhecido de serial killer, que mata sob autorização do estado. Em outras palavras, um homem que comete atos terríveis de mutilação e homicídio com vítimas inocentes pode não ser considerado criminoso dependendo de onde esteja.

Ao longo dos milênios, guerras sangrentas fizeram parte da vida cotidiana das pessoas. Um psicopata cruel que apreciasse fazer mal aos outros podia ingressar no exército e assassinar brutalmente homens, mulheres e crianças o quanto quisesse — e ainda ganhar uma medalha por isso.

Em 1928, em uma cerimônia pomposa, o soldado japonês Yoshio Kodaira foi condecorado com a Ordem do Sol Nascente. A honraria veio após ele trucidar seis soldados chineses em poucos minutos com uma baioneta durante um conflito em território chinês. Seu currículo militar também incluía estupros e homicídios de civis, com direito a cortar barrigas de grávidas com uma espada para retirar seus fetos. No ano seguinte foi promovido a sargento por sua “bravura” e “coragem”.

E Kodaira é apenas uma gota no oceano. Schechter, por exemplo, cita um caso ocorrido no Vietnã: “Um soldado americano descreveu uma visão que testemunhou. Depois de matar uma camponesa a tiros, um membro de seu pelotão ‘foi lá, rasgou as roupas da mulher, pegou uma faca e fez um corte da vagina até em cima, quase chegando aos seios, depois puxou os órgãos para fora, tirando-os completamente da cavidade abdominal, e jogou-os longe. Em seguida se ajoelhou e, debruçando-se sobre ela, começou a descascar cada pedacinho de pele do seu corpo e a deixou lá.'”

Sob um uniforme, um homem com desejo assassino pode cometer suas atrocidades sem levantar suspeitas de que seja um psicopata doente, inclinado a matar serialmente. Muitos até guardam e levam para casa troféus, como escalpos indígenas ou crânios.

Recentemente tivemos o caso do militar russo Alexander Volovchuk. Sua jornada “dupla” incluía a matança autorizada em batalha e a degola de mulheres desavisadas em Zuhres, Ucrânia.

Voltando a Kodaira, o japonês foi executado em 1949. O crime? Assassinatos em série de mulheres.

Referências: [1] Schechter, Harold. Serial Killers, Anatomia do Mal. DarkSide Books. 2013; [2] Cruz, Daniel; Santana, Marcus. 101 Crimes Notórios e Horripilantes de 2021. OAV Crime. Edição do Kindle; [3] Bunshun. bunshun.jp/articles/-/47897.

Siga OAV Crime no Instagram


Apoie o OAV


Apoie o nosso trabalho. O OAV Crime precisa do seu apoio para continuar a crescer, disponibilizando textos e podcasts de qualidade, assim como o desenvolvimento de outros projetos. Acesse a página abaixo e saiba como apoiar.

Por:


Daniel Cruz
Texto

Assine o nosso projeto no Catarse

"Podemos facilmente perdoar uma criança que tem medo do escuro; a real tragédia da vida é quando os homens têm medo da luz." (Platão)
Deixe o seu comentario:

RELACIONADOS

Receba nosso conteúdo por e-mail!

Digite o seu endereço de e-mail:

OAV Crime no WhatsApp!

OAV no Whatsapp

OAV Crime no Telegram!

OAV no Whatsapp

OAV Crime no Twitter

As últimas notícias

Categorias

× Receba nosso conteúdo no WP