O fascínio do ser humano pelos bizarros assassinos de luxúria

No clássico Psicopatias do Sexo, o psiquiatra Richard von Krafft-Ebing, que se especializou no estudo do comportamento sexual — tanto o normal quanto o anormal —, citou o caso...
Lust Murderers - Assassinos de Luxúria - Foto

No clássico Psicopatias do Sexo, o psiquiatra Richard von Krafft-Ebing, que se especializou no estudo do comportamento sexual — tanto o normal quanto o anormal —, citou o caso de Gruyo. Acima de qualquer suspeita, Gruyo foi desmascarado como um assassino em série que em 10 anos ceifou a vida de seis mulheres — quase todas prostitutas e de idade avançada. Após o estrangulamento, ele arrancava os intestinos e rins das vítimas pela vagina. Algumas ele violava antes de matar, já outras, devido à impotência, não. Calculista e sorrateiro, Gruyo foi capaz de matar por 10 anos sem ser detectado.

Já o francês Antoine Léger, de 29 anos, teve uma juventude silenciosa e tímida. Ele era um espírito solitário cuja aversão à sociedade o fez sair da casa dos pais para viver como um lobo na floresta. E por falar em lobo, na mesma época, uma criança de 12 anos desapareceu de uma floresta na região de Montreux. O sumiço de Aimée Debully movimentou a população local que farejou o cheiro de sangue e carne putrefada até uma cabana na floresta.

Dias depois Léger foi preso. Inicialmente ele mentiu, mas depois confessou tudo. Como no conto Chapeuzinho Vermelho, Aimée passeava animadamente pela floresta quando Léger a viu, a perseguiu e a matou; ele violou seu corpo, mutilou os genitais, arrancou o coração e comeu, se refrescando com o sangue da garota ao mesmo tempo. Julgado em novembro de 1824, Léger ouviu tudo com indiferença e foi sentenciado à morte, sendo guilhotinado menos de uma semana depois. O lendário psiquiatra Jean-Étienne Esquirol examinou seu cérebro e encontrou “mórbidas aderências entre as membranas cerebrais e o cérebro”.

Mais de 150 anos depois, os agentes do FBI John Douglas e Roy Hazelwood escreveram um artigo clássico sobre homicidas como Gruyo e Léger. Krafft-Ebing foi o primeiro a rotular tais assassinos como “lust murderers” e Douglas & Hazelwood escreveram que esse “é um dos crimes mais hediondos cometidos pelo homem. Embora não seja uma ocorrência comum, é algo que assusta e chama a atenção do público de uma forma que nenhum outro crime consegue.”

Os agentes atingiram a mosca! No caso de nós, do OAV Crime, fascina-nos o porquê.

E vocês?

>Referências: [1] Kraftt-Ebing, Richard von. Psychopathia Sexualis. Rebman Company. 1906; [2] Georget, Dr. Examen Medical des Procès Criminels Des Nomées Léger, Feldtmann, Lecoufre, Jean-Pierre Et Papavoine. Número 20. 1825; [3] Cour d’Assises de Versailles. Journal Des Débats Politiques et Littéraires. 24 de Novembro de 1824. Página 2; [4] Douglas, John; Hazelwood, Roy. The Lust Murderer. Behavioral Science Unit. FBI Bulletin. Abril de 1980.

Podcasts OAV


Escute os podcasts do OAV Crime em nosso site de podcasts ou no agregador de sua preferência.

Apoie o OAV


Apoie o nosso trabalho. O OAV Crime precisa do seu apoio para continuar a crescer, disponibilizando textos e podcasts de qualidade, assim como o desenvolvimento de outros projetos. Acesse a página abaixo e saiba como apoiar.

Por:


Daniel Cruz
Texto

Assine o nosso projeto no Catarse

"Podemos facilmente perdoar uma criança que tem medo do escuro; a real tragédia da vida é quando os homens têm medo da luz." (Platão)
Deixe o seu comentario:

RELACIONADOS

Receba nosso conteúdo por e-mail!

Digite o seu endereço de e-mail:

OAV Crime no WhatsApp!

OAV no Whatsapp

OAV Crime no Telegram!

OAV no Whatsapp

OAV Crime no Twitter

As últimas notícias

Categorias

×

Powered by WhatsApp Chat

× Receba nosso conteúdo no WP