25 anos do massacre na Columbine High School

Esqueçam o bullying e demais narrativas falsas. Eric Harris era um garoto raivoso, com proeminentes traços antissociais, narcisistas e sádicos. Ele é pateticamente contraditório, afirmou ter sofrido bullying, mas...

Esqueçam o bullying e demais narrativas falsas. Eric Harris era um garoto raivoso, com proeminentes traços antissociais, narcisistas e sádicos. Ele é pateticamente contraditório, afirmou ter sofrido bullying, mas ele, seu amigo Dylan Klebold e outros colegas ameaçavam e intimidavam estudantes; um deles chegou a ficar com medo de ir à escola. Seus diários deixam claro que Eric era O Bolinador e não o contrário.

Delinquente, ele se envolveu com vandalismo, fraude de cartão de crédito, roubo, tinha obsessão em incendiar coisas e construir bombas apenas pela diversão. Suas conversas eram sobre explodir a cidade de Denver, derrubar um avião em Nova Iorque e destruir a humanidade. Tinha como ídolo Hitler e sua política eugenista. Ele admitiu fazer troça de outros e odiar os mentalmente incapazes, os pretos, os latinos e os gays. Ele tinha fantasias de estuprar meninas e uma vez citou o desejo de abrir o tronco de uma delas com uma faca.

Eric planejou matar a escola inteira, incluindo seus amigos, os pais deles, bombeiros, jornalistas e quem mais aparecesse no estacionamento, mas suas bombas falharam. Seu objetivo nunca foi uma vingança contra os valentões bolinadores da escola. Em seu íntimo, Eric queria matar em larga escala para ser lembrado como um dos maiores assassinos da história. “Quero deixar uma impressão duradoura no mundo. Sou Deus”, escreveu. Eric buscou fama e atenção da maneira mais doentia possível, matando pessoas.

Rachel Scott tinha 17 anos e foi a primeira vítima dos atiradores. Ela e seu amigo Richard Castaldo comiam na grama quando foram alvos de tiros. Religiosa, Rachel mantinha um diário onde escrevia sobre o bullying que sofria por sua fé. Castaldo levou oito tiros, mas sobreviveu. Ele deu um depoimento chocante. Ele contou que, ao perceber Rachel ainda viva, Eric voltou e perguntou a ela:

— Você acredita em Deus?

— Você sabe que sim — Rachel respondeu.

— Então esteja com ele — disse Eric, dando um tiro em sua cabeça.

O ódio sem motivo de Eric Harris não tem nada a ver com bullying e isso é um dos mitos deste caso. Ele quis brincar de Deus, mas hoje está em outra companhia.

Hoje faz 25 anos do massacre na Columbine High School.

Referências: [1] Cullen, Dave. Columbine. DarkSide Books. 2019; [2] Langman, Peter. Eric Harris: The Search for Justification. School Shooters Info. 2012; [3] Langman, Peter. Influences on the Ideology of Eric Harris. School Shooters Info. 2016.

Siga OAV Crime no Instagram


Por:


Daniel Cruz
Texto

"Podemos facilmente perdoar uma criança que tem medo do escuro; a real tragédia da vida é quando os homens têm medo da luz." (Platão)
Deixe o seu comentario:

RELACIONADOS

Receba nosso conteúdo por e-mail!

Digite o seu endereço de e-mail:

OAV Crime no WhatsApp!

OAV no Whatsapp

OAV Crime no Twitter

As últimas notícias

Categorias

×